Samhuin

Certamente o Samhuin é um dos festivais druidas mais conhecidos nos dias de hoje. Ele é chamado por diversos nomes: Samhain é a palavra do gaélico irlandês para o mês de novembro. Samhuin ou Samhuinn significa o dia das bruxas (All Hallows) e vem do gaélico escocês (1).

No hemisfério sul, sua comemoração se inicia no dia 1 de Maio e termina no dia 3 de Maio. Enquanto que no hemisfério norte ele é iniciado no dia 31 de Outubro e é finalizado no dia 2 de Novembro.

Como o tempo o seu construtor, o muro invisível cujo tempo sozinho ergue entre o mundo dos vivos e o reino dos mortos, é abolido enquanto três vezes o Sol, o Olho do Mundo, joga seu olhar brilhante de leste ao oeste.

 Cerimônia tradicional da OBOD (1)

Fazendo um paralelo entre os costumes cristãos e as datas do Samhuin no hemisfério norte, o festival engloba na seguinte ordem: o dia das bruxas (31 de Outubro), o dia de todos os santos (1 de Novembro) e o dia de finados (2 de novembro)(1)(2).

Como do ponto de vista celta a vida se inicia na escuridão, esse festival marca o fim de um ano e o início de outro. É um momento especial onde o véu entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos está muito tênue e pode ser retirado, acontecendo assim o entrelaçamento dos mundos.

pooka

É uma época marcada por encontros sobrenaturais e mágicos, onde podemos encontrar nossos entes queridos, amigos e amores que se foram deste mundo. Também é um momento em que devemos estar muito atentos, pois nessa época são relatados encontros como seres sobrenaturais como as fadas, silfas, elfos, púca, e muitos outro.

Os viajantes devem tomar muito cuidado nessa época, pois podem correm o risco de se perderem pelo seu caminho enganados pelas fadas. Para evitar que isso aconteça, os viajantes devem carregar consigo uma faca com a empunhadura preta ou uma agulha de aço presa à sua manga ou na gola do seu casaco.

Porém, se por azar o viajante se perder em seu caminho, como forma de evitar ser abordado por alguma fada ou púca, ele deve se disfarçar utilizando seu casaco do avesso. Dessa forma as fadas não o reconhecerão como humano e irão dirigir sua atenção para outro lugar.

parshall

Como forma de aproveitar essa energia oriunda da união entre os mundos, esse é um bom momento para fazer magias de banimento e proteção. Uma das tradições celtas desse período, é confeccionar uma cruz chamada de “Parshell”.

A cruz de Parshel é formada de duas hastes de aproximadamente 7 polegadas (+- 17 cm) de comprimento por 1/2 polegada de largura cada, colocadas em forma de cruz e atadas entre si utilizando palha ou lã (2)(3)(4).

Ela deve ser confeccionada no primeiro dia do Samhuin, e quando pronta deve ser colocada na porta de entrada, do lado de dentro. Essa cruz protege a casa e seus moradores contra magias, doenças, mal-olhado, azar, espíritos ruins, inimigos e as fadas.

É uma proteção que dura por um ano e deve ser refeita no primeiro dia do próximo Samhuin. Quando a nova cruz estiver pronta, a atual deve ser queimada ou colocada em um outro local, de preferência fora de casa. Ao retirar a antiga cruz, deve-se pronunciar a seguinte palavra: “Fonstarensheehy” (5). Obs: Infelizmente não consegui achar o significado dessa palavra.

Deve-se lembrar que para os povos celtas, o inverno era muito rigoroso e no momento da entrada do inverno eles estavam se preparando para períodos de isolamento profundo. Nessa época toda a colheita ja deveria ter sido realizada e tudo o que colheram, era o que tinham para enfrentar o inverno.

Ao mesmo tempo, todo o gado era recolhido dos pastos longínquos e trazido para próximo das casas onde moravam seus donos e alojado dentro dos estábulos. Todo o alimento que o gado possuía para passar o inverno também era oriundo dos estoques formandos pelas colheitas.

hallowennSendo assim, apesar de ser um festival aberto, sua celebração aconteciam já refletindo o período de recolhimento e participavam dele pequenos grupos mais íntimos. Os jovens fantasiados com máscaras grotescas e carregando cabeças entalhadas em nabo, eram encorajados a formarem bandos e baterem nas portas das casas ou abordarem os transeuntes pedindo por maçãs ou nozes para ajudarem nas festas de Hallow E’en.

Hallow E’en é chamado de oídhche na h-aimléise (“A noite de travessuras ou mentiras”)(2) período onde esses grupos de jovens iniciavam uma corrida pela vizinhança. Os moradores aguardavam com a porta entreaberta, por onde faziam suas doações para o Samhuin. Independente disso, muitas travessuras eram feitas, como por exemplo trocar o gado de seus respectivos donos.

Tendo juntado doações suficientes, eles se encontravam em seus pontos de encontros especiais e celebravam o Samhuin cada qual à sua forma. Existem relatos de viajantes descrevendo inúmeras fogueiras espalhadas pelas florestas e figuras fantasiadas dançando e celebrando ao redor do fogo.

Esta também era uma época em que toda a comunidade se divertia praticando diversos jogos, voltados para cada a faixa etária. Em casas de famílias onde haviam muitas crianças, os pais e as mães participavam de jogos infantis junto com seus filhos. Já os adolescentes e jovens adultos se divertiam com jogos que envolviam competições, outros que colocavam à prova suas habilidades físicas e ainda jogos como “cabra cega”. Já os mais idosos se divertiam com jogos de cartas, recitando poesias ou contando histórias.

Aqueles mais ligados às artes dos Vates, aproveitavam este segundo dia de Samhuin para executarem rituais com o propósito de contatarem as fadas e os seres do mundo dos mortos. Os oráculos eram abertos para as adivinhações referentes ao clima do próximo ano, à casamentos para aqueles que o desejavam, para os negócios, etc.

hallowen

O dia seguinte, o último dia do Samhuin, é dedicado para honrarmos às almas de nossos parentes, ancestrais de sangue, ou daqueles que amamos e se foram desse mundo. Nessa noite, suas almas retornam ao nosso mundo para visitar seus antigos lares, locais em que nasceram e as casas de seus entes queridos.

Antigamente, como forma de receber bem essas visitas, varria-se o chão e a lareira era deixada acesa. A família se retirava cedo para dormir, deixando a porta de entrada destrancada e uma jarra de água fresca em cima da mesa.

Algumas famílias recitavam orações ao entardecer e acendiam uma vela para cada um de seus parentes mortos. Os cemitérios também poderiam ser visitados, seus túmulos eram então limpos e enfeitados com flores e honrarias enquanto orações eram recitadas.

(1)  Material de estudo da OBOD

(2) The Year in Ireland. Irish Calendar Customs – Kevin Danaher

(3) https://pt.slideshare.net/LucianaCavalcanti2/cruz-de-parshell

(4) http://cbladey.com/parshal.html

(5) http://www.irishcultureandcustoms.com/ACalend/Parshell.html

Gostou? Deixe sua opinião nos comentários! Sugestões são bem-vindas! 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: